Influenciador Luccas Torres vira modelo na Suíça e ingressa na música

Conteúdo comercial publicado por Gfama e não é de responsabilidade do site.

Um dos maiores problemas que o jovem pode enfrentar é a pressão familiar e a não aceitação pela sociedade. Desde a fase inicial de aprendizado infantil até a faixa dos 20 anos, as pessoas acabam passando, muitas das vezes, por situações de humilhações verbais, olhares tortos e até agressões físicas. De acordo com pesquisa lançada pela Microsoft no início deste ano, 43% dos brasileiros já se envolveram em situações de bullying, sendo como agressor ou vítima, entre os anos de 2019 e 2020.

Segundo o estudo, 21% dos entrevistados já foram vítimas e 41% disseram que as coisas pioraram ainda mais na pandemia. Dentre os mais afetados estão os nascidos entre 1995 e 2010 e, posteriormente, os nascidos entre 1985 e 2000. De acordo com levantamentos, o Brasil é um dos países com o mais alto índice de exposição na internet e também fora dela.

O influenciador e modelo Luccas Torres, que hoje vive como modelo e professor de dança em Zurich, na Suíça, foi um dos que passou por essas situações bem complicadas aqui no Brasil. Em sua adolescência, no período em que viveu no país, ele acabou sofrendo bastante. Hoje de aparência completamente diferente de sua fase escolar, o influencer relembra alguns momentos e conta até um caso em que foi agredido.

 

 

“Eu recebia apelidos o dia inteiro na sala de aula. Eu sempre me enturmava muito com as meninas na época da escola e isso causava muita revolta nos rapazes que estudavam na mesma sala. E eu tive até uma briga que uma menina mandou um cara me bater porque eu não dava chance para ela. E tipo, eu não gostava de mulheres, mas ela acabou gostando de mim. E por conta disso ela chamou algumas pessoas para me bater na saída da escola”, disse ele.

Vivendo hoje como modelo bem sucedido, Luccas Torres recentemente postou um vídeo em seu Instagram que mostra a sua evolução física. Antes bem “magrinho”, atualmente o influencer tem um “shape” de dar inveja a qualquer um. Em relação a isso, ele acredita até que esta fase acabou incentivando o seu início de treinos e preparação física intensa.

“Eu era muito magrinho, né? Na época eu era muito delicado e isso acabou sendo, nessa época que eu passei uma temporada no Brasil, de muito bullying. Acho que talvez por isso tenha despertado esse interesse em querer mudar. Assim, em querer ter uma aparência bem diferente”, explicou.

Ainda sobre o vídeo que postou no Instagram, Luccas Torres detalha como foi o processo de transformação da adolescência até a atualidade. Segundo o modelo, essa mudança modificou completamente a sua vida e as pessoas que o conheceram antes sempre se assustam quando ele posta novos conteúdos nas redes sociais.

 

 

“Depois dos meus 18 anos eu sofri uma mudança radical. O fato de você começar a treinar e passar da fase adolescente para a fase adulta foi uma transformação muito grande dentro de mim. E eu ainda tenho pessoas da escola que me escrevem e que me encontram no Instagram e falam: ‘nossa! Meu Deus, como você mudou! E eu estudei com você’. É legal dizer que as pessoas ainda me reconhecem, né? Porque na verdade a minha essência não mudou. Eu só mudei fisicamente. O cabelo, corpo, etc”, revelou.

“E é claro que eu ainda vivo nessa constante mudança. Uma luta diária para conseguir manter um corpo legal e um padrão saudável de alimentação e minha rotina de trabalho. Sempre mais treino, dando aula, trabalhando no escritório. É bem difícil, mas eu devo manter essa rotina o mais certinho possível”, reforçou Luccas Torres.

Agora com uma vida completamente agitada e de muito trabalho, o influenciador já alcançou mais de 25 mil seguidores no Instagram. Além disso, o modelo também irá iniciar muito em breve a sua carreira de cantor. Em conversa com a nossa equipe, Luccas afirma que irá lançar muito em breve o cover da canção “A Música mais triste do ano”, de composição de Luiz Lins, no qual ele já soltou uma prévia em seu reels.

“Estou em um processo de criação. E eu espero que, não sei, daqui a um mês, a gente consiga estar com a música pronta. Vai ser um cover da “Música mais triste do ano”, e eu até já soltei um no meus reels. A gente está fazendo toda a produção nessa música ainda pra fazer um cover mesmo gravado em estúdio. E também será disponibilizada em todas as plataformas digitais”, finalizou.

Compartilhe esta matéria

Share on facebook
Share on twitter
Share on telegram
Share on whatsapp
Share on email
Share on pinterest