Aos 30 anos, judoca terceiro do ranking nacional Paulo Ricardo , mantém desejo de competir

Todos os atletas são confrontados com a natureza implacável de se superar constantemente. Muitas vezes, não há segundas chances e o fim de um campeonato Mundial pode estar a apenas alguns segundos de ser liquidado, após tanto tempo de preparação. Ao mesmo tempo que essa adrenalina causa temor, causa fascínio. Pode ser esse desejo que faça um de nossos maiores e melhores judocas, o terceiro do Ranking nacional Master Paulo Ricardo manter-se ativo.

Paulo ficou em 2019 em 4 colocado no Pan Americano do Chile; Foi campeão baiano em 2019, 3 colocado no Open Nacional 2020 e atualmente o terceiro melhor judoca do Brasil, sem dúvidas ele vem dando muitas alegrias para o nosso país.

Mas o que faz esse atleta a continuar mesmo aos 30 anos de idade?

Paulo está na categoria 73 kg e foi barrado de trazer a medalha de ouro no Pan Americano pelo chileno Leal na cidade de Santiago- Chile. “Eu estou frustrado até hoje, sabia que tinha capacidade de ganhar, eu já me via vitorioso quando segurei no kimono do Leal, a vitória era minha, mas por um segundo e um erro, tomei um ippon e isso nunca saiu da minha cabeça” afirmou Paulo Ricardo.

Eu tive alguns vacilos, não me atentei as regras novas e no passado eu sempre lutei para distribuir golpes e defender golpes, mas o judô evoluiu, temos que ter como aliado às regras e sim estou estudando bastante e quero ir lá pegar a minha medalha de ouro no Pan e agora mundial, isso que me move, não a medalha, mas a superação de não desistir diante um obstáculo” afirma Paulo.

O Baiano ficou conhecido pela história de ter catados latinhas para comprar primeiro kimono e por suas conquistas no judô.

Rede social do atleta: @paulorick_73

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *