Matheus Shark: dicas de como usar milhas para driblar alta de passagens aéreas

Matheus Shark

Matheus Shark alerta que a “inteligência das milhas aéreas” pode baratear a viagem de final de ano

Com a vacinação de mais de 70% da população brasileira com a primeira dose e, consequentemente, a flexibilização de medidas sanitárias em destinos turísticos, muita gente voltou a sonhar com viagens no segundo semestre de 2021. No entanto, a inflação elevou as tarifas de passagens aéreas e frustrou os planos de quem pretendia viajar. De acordo com o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), no acumulado de 12 meses, as passagens aéreas tiveram aumento de 56,81%, ficando atrás apenas de itens de alimentação e combustíveis.

O que muita gente não sabe é que a inteligência das milhas pode abrir portas para a tão sonhada viagem pós-pandemia. O empresário e especialista em cartões de crédito, programas de milhagens e viagens, Matheus Shark conta que alguns viajantes brasileiros ainda não conhecem bem os mecanismos de acúmulo de pontos e milhas disponíveis no mercado para baratear os custos de uma viagem no final de 2021.

Proprietário de uma empresa que gerencia mais de 90 milhões de milhas, Matheus tem entre seus clientes o youtuber e ex-BBB Pyong Lee e o produtor de audiovisual à frente do canal de YouTube “I Could Kill for Dessert”, Paulo Cuenca. De acordo com o empresário, o primeiro passo é entender que não é preciso ter gastos altos no cartão de crédito para usufruir dos benefícios de um programa de milhagens, sendo possível para viajantes com perfis de compra mais modestos adquirir milhas em promoções divulgadas pelos programas. “Elas estão no nosso dia-a-dia, não precisamos fazer mais esforço para acumular ou para entender seu funcionamento. A maximização vem por meio da multiplicação dos pontos gerados no cartão, além das diversas formas de juntá-las, seja andando de Uber, abastecendo o carro, comprando online ou até mesmo pagando boletos”, explica o empresário.

Outra sugestão do especialista para ajudar a driblar os gastos durante a viagem é a diversificação do pagamento dos custos com as milhas. Segundo Matheus, há uma falsa ideia de que os programas de pontos podem representar descontos apenas em bilhetes aéreos. No entanto, ele chama atenção para itens como hotéis, aluguel de carro e gasolina, que podem ter os custos significativamente reduzidos – e até zerados – por meio da utilização das milhagens. (ou por meio da inteligência das milhas, o que vocês acham¿)

Apesar de bom negócio e até uma opção de renda extra para quem viaja muito (pois é possível comercializar os pontos), Matheus Charão alerta para as “pegadinhas” encontradas no mercado das milhas: “Existem muitas promoções de milhas que fazem com que os viajantes multipliquem seus pontos e, até mesmo, adquiram outros de forma mais barata. Mas, muitas vezes, os enunciados das promoções, por mais atrativos que pareçam, podem trazer taxas embutidas na negociação, ou o clássico ´metade do dobro’. Então, sempre indico ter o conhecimento, seja por cursos ou mentorias, para poder utilizar a inteligência das milhas que só traz benefícios nas viagens e na vida financeira”.

Compartilhe esta matéria

Share on facebook
Share on twitter
Share on telegram
Share on whatsapp
Share on email
Share on pinterest