Com restrições para viagens saindo diretamente do Brasil, como entrar nos EUA?

Conteúdo comercial publicado por Gfama e não é de responsabilidade do site.

Ana Nascimento, da AN TAX, explica como é o processo normal para poder ir até as terras do Tio Sam e também a fase atual de limitações de visitas.

 

Viajar para outro país nunca é uma tarefa fácil, ainda mais se tratando dos EUA. Em tempos “normais”, entrar em solo norte-americano pode parecer um objetivo que requer cuidados, mesmo que seja para uma visita rápida. Tendo em vista o momento atual do mundo por conta da pandemia do novo coronavírus, os Estados Unidos aderiram ao processo de restrições para conter o avanço do vírus.

Em entrevista coletiva realizada em julho deste ano, o porta-voz da Casa Branca, Jean Psaki, afirmou que o presidente Joe Biden não irá retirar as restrições atuais. Vale frisar que o governo dos EUA proíbe a entrada de quase todas as pessoas que são norte-americanas e que nas últimas semanas antes da viagem estiveram no Reino Unido, Irlanda, China, Índia, África do Sul, Irã, Brasil e os 26 países do continente Europeu.

 

 

A medida é para tentar diminuir os números, já que a nova variante delta representa quase que 85% dos casos de Covid-19 em solo norte-americano. Com tantas dificuldades, o que fazer se a pessoa precisa resolver algo urgente nos Estados Unidos? Sobre isso, conversamos com Ana Nascimento, CEO da AN Tax Service, que trabalha com toda a parte de desburocratização para imigrantes. De acordo com ela, para entrar em solo norte-americano – com o visto – é necessário ir para outro país que tenha permissão de acesso ao país, ficar por mais de duas semanas de quarentena e só depois poder viajar.

“Sem dúvida a maior dificuldade para quem já tem o visto é entrar no país, que ainda tem a restrição de não aceitar voos diretamente do Brasil. Então um turista vindo do Brasil tem que fazer a quarentena no México ou em outro país que seja autorizado a ter voos direto ao Eua. E para quem não tem visto o cenário, atualmente, infelizmente é pior. Não há previsão de quando os consulados americanos no Brasil irão ter vaga para entrevista. Aparentemente apenas em Novembro de 2022”, revelou.

 

 

Vale lembrar que para ir aos EUA pela primeira vez é necessário o passaporte, visto de turismo para entrar no país e um seguro de viagem. Como as pessoas escolhem lugares como a Califórnia, Flórida e Nova Iorque para passear no fim de ano, muitas dúvidas, principalmente por conta do momento, acabam rondando a cabeça das pessoas. Mesmo que atualmente não seja acessível, com certeza visitar os Estados Unidos é uma das coisas que muitos brasileiros sonham em fazer. Em relação ao processo de viagem, Ana Nascimento explica algumas normas que são estabelecidas pelo governo.

“Para quem quer visitar com o visto de não imigrante, ou seja, como turista, precisa antes de tirar o visto ter algum vínculo forte com o Brasil para comprovar que voltaria ao Brasil e não ficaria vivendo fora de status na terrinha do tio Sam. Geralmente faculdade ou qualquer vínculo de educação presencial, carteira assinada, cargos públicos, ou empresa própria registrada são boas maneiras de comprovar. Além disso, sempre recomendamos poder comprovar um salário  de no mínimo mais de mil dólares por pessoa na aplicação do visto”, explicou.

 

Conheça a AN TAX Service

Anos atrás, Ana Nascimento, de 27 anos, perdeu sua mãe por um câncer no meio do processo imigratório que se encontrava e por conta dos processos burocráticos não conseguiu voltar ao Brasil para o velório. Tocada por isso, ela se viu na missão de poder ajudar pessoas que se encontram na mesma situação. Neste momento, ela resolveu abrir sua empresa e hoje auxiliar os brasileiros nos processos burocráticos de imigração para os EUA.

 

Instagram da AN TAX Service:

https://www.instagram.com/antax.service/?utm_medium=copy_link

Site oficial: https://antaxservice.com/

“Trabalhar com isso é um aprendizado incansável de solidariedade e compaixão. Receber informações sobre cada detalhe que levou nossos clientes a chegarem até aqui nos dá vontade de abraçar a causa de cada um com emoção, compaixão e muita responsabilidade. A gente recebe muito feedback positivo e é de onde surgiu nosso nome. O boca a boca da comunidade Latina que vive nos Estados Unidos funciona muito bem. E temos clientes tão maravilhosos, amáveis e respeitosos”, explicou a fundadora da empresa.

A AN Tax Service ajuda brasileiros imigrantes americanos a construírem sua moral americana, influenciando eles a pagar pelo imposto de renda de todo tributo americano gerado. A receita Federal dos Estados Unidos, chamada IRS (Internal Revenue Service), teve arrecadação de mais de $30 mil dólares em menos de 1 ano por clientes que a dona da empresa AN Tax Service, Ana Nascimento, atendeu e mostrou o quão é importante manter a moral americana em dia, através do pagamento de impostos.

Compartilhe esta matéria

Share on facebook
Share on twitter
Share on telegram
Share on whatsapp
Share on email
Share on pinterest

Conteúdo patrocinado

Essa publicação é de responsabilidade do autor  não sendo de responsabilidade do portal.