Na falta de dinheiro para uma terapia, a religião pode ser uma solução gratuita

Religioso André Filipe diz que praticar a religiosidade em domicílio pode trazer bem-estar

Segundo pesquisa do instituto Ipsos, encomendada pelo Fórum Econômico Mundial, 53% dos brasileiros declararam que seu bem-estar mental piorou um pouco ou muito no último ano. Sendo números alarmantes, faz-se a necessidade dessas pessoas terem um acompanhamento psicológico profissional para que essa doença não desencadeie problemas mais sérios.

 

Por outro lado, de acordo com a Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua (Pnad Contínua), divulgada na última sexta-feira (30)  pelo IBGE, a taxa de desemprego é de 14,4%, atingindo 14,4 milhões de pessoas. Sendo assim, por elas, o acesso ao tratamento psicológico ainda está distante. Então o que fazer para manter a saúde mental em dia ?

 

Para o religioso André Filipe, que também é YouTuber e produtor de animação, a religiosidade pode ser uma válvula de escape nesse tempo de pandemia.

 

“Particularmente, eu acredito que exista uma força sobrenatural capaz de fortalecer o indivíduo em momentos difíceis, e a crença em relação a saúde mental é um dos pilares. Orar a Deus serve como terapia, pois quando tiramos um tempinho para orar, nos concentramos em nós, na nossa respiração e no momento, deixando para trás os problemas”, disse o religioso.

 

Ainda de acordo com André, as práticas religiosas (de maneira geral) estão associadas à redução dos sintomas de ansiedade, do nível de estresse, exaustão emocional e depressão, além também na diminuição na intensidade do consumo de drogas e nos sintomas de depressão. Para ele, o simples fato de conversarmos com um ser divino nos alivia, liberando de nós qualquer sensação de ansiedade.

 

“Quando conversamos com Deus e elevamos para Ele o nosso clamor e desejos, saímos da oração mais leve e, automaticamente, somos tomados por uma onda de confiança de que nossos problemas serão sanados”, acrescentou André.

 

Entretanto, o produtor de animação não elimina o fato de o indivíduo poder ter acesso a um tratamento humanizado e profissional. Segundo ele, religião e ciência podem andar lado a lado. “Sabemos que existem questões químicas que podem influenciar no psicológico de uma pessoa e desencadear problemas neuropsicológicos, assim concordo que medicina e crença andam juntas”, finalizou.

Compartilhe esta matéria

Share on facebook
Share on twitter
Share on telegram
Share on whatsapp
Share on email
Share on pinterest